Porque escrevo

Eu sei o que cada letra

de cada linha

de cada estrofe

de cada poesia

quis transmitir.

Quando as releio

sinto a mesma coisa

que quando as escrevi.

Não faço ideia

de quantos as lerão,

sei que nunca sentirão

o que senti

da mesma forma.

Cada poesia é

minha

  • e somente minha -

mnemônica

para um momento.

Logo,

não as escrevo

para nenhum outro fim

senão o registro:

assim como fotografias

me trazem memórias visuais,

me recordam do que

um dia eu senti.