Sanidade

A sanidade

é um grampo que não deixa

nenhum dos dois lados

do meu cérebro

ficar desconexo;

é o contrapeso da balança

entre raciocínio lógico

e a imaginação;

é a algema que não deixa

divergir o movimento;

é o olho da mãe

que não deixa

as crianças a sós;

é o mosquito que vem a noite,

zumbizando no ouvido,

pergunta como foi o meu dia.