Visão pessimista

Os meus maiores ídolos

  • seja na música, na poesia,

seja nos quadros ou na projeção

de uma tela de cinema -

falam da morte,

falam de suas consequências,

de sofrimento e de perdas.

Tentam entender,

adivinhar o que vem a seguir:

lúdicos sonhos e eternidade,

vermes que dão continuação

ao fator universal do transformismo,

a insignificância do ser humano.

Pois, mesmo alimentado

pela comida à la carte

de ídolos que falam

da Dama do Fim,

minha poesia circunda

a vida,

a bel-prazer

do desejo irrefutável

do deus Tempo.

Bem que me dizem,

desde pequeno,

o quanto eu sou pessimista.